Gestão: Organização/empresa_ Apontamentos

Publicado: maio 15, 2010 em Gestão

1.º Tema: O que é uma organização?

 

O termo organização tem origem no termo grego “Organum”, que significa Instrumento ou utensílio. Apresenta 2 significados:

– Designa unidades e entidades sociais (como fábricas, bancos, Administração Publica);

– Designa certas condutas e processos sociais (organizar actividades, integração dos membros numa unidade coerente)

 

Exige coordenação para a gestão formal, integrada por um grupo de pessoas que a interagem. A utilização de fronteiras permite distinguir os que são membros dos que não são membros. A organização existe para realizar os seus objectivos, os quais seriam inatingíveis se a sua concretização fosse de só uma pessoa.

 

ASSIM, AS ORGANIZAÇÕES:

 

São constituídas por grupos de duas ou mais pessoas; organizadas, coordenadas, que têm características próprias e se juntam para atingir os seus objectivos;

Entre elas, há relações de cooperação, porque 1,2,3 pessoas não são suficientes para interagir;

Exigem a coordenação formal de acções (têm objectivos,  a diferenciação do poder tem de ser clara, pois se esta não existir, não pode haver organização);

Caracteriza-se pela prossecução de metas (cada um faz aquilo que tem mais competências);

Têm variedade de funções: (têm uma área especifica de actuação, cada um saberá exactamente aquilo que deverá fazer; filosofia da Gestão, cultura organizacional, inter-relação entre pessoas);

Possuem uma estrutura hierárquica (está definido até na Lei que tem de haver um “gerente”. As funções tem interligações entre as si, há comunicação, mas há quem tenha mais ou menos poder de decisão);

Caracterizam-se pela existência de fronteiras que permite distinguir os que são membros dos que não são membros; As organizações são importantes, são totalmente diferentes umas das outras. Exemplo: Basta um símbolo para saber qual o grupo/clube que pertence. Os clubes desenvolvem e estimulam, há canções, símbolos, hinos, cores, rituais, e isto tudo, serve para fechar fronteiras com os outros grupos. Outras organizações dão importância há marca, chegando a gastar milhões para promover a sua imagem, que permite diferenciar a sua empresa, identificá-la umas das outras;

 

Nesta, linha, Edgar Schein define organização como sendo:

Coordenação racional (“fazem sentido”) de actividades de um certo número de pessoas, tendo em vista a realização de um objectivo ou intenção comum, através de uma divisão do trabalho e funções, de uma hierarquia de responsabilidade e de autoridade.

Edgar foi fundador do desenvolvimento organizacional

 

A organização pode não ser apenas empresarial, mas pode ser de todo o tipo, como um clube, religião: pois teêm um conjunto de pessoas, tem comunicação externa e internamente, e têm fins, assegurar o futuro da organização – a sua sobrevivência.

 

A EMPRESA / ORGANIZAÇÃO

“ sistemas vivos, que existem numa envolvente mais vasta, que dependem da satisfação das suas diversas necessidades ( Morgan 1986)

É o conjunto orgânico de Pessoas, Estruturas, Procedimentos (forma como as empresas geram seus diferentes processos de venda, gestão, etc , e a forma como resolvem os seus problemas) e Comunicações (com o exterior mantendo o contacto entre pessoas, permite planear) que asseguram, o funcionamento eficaz da empresa no presente e, preparam as informações e os meios para a sua adaptação e sobrevivência no futuro:

Como se garante a sobrevivência da empresa?:

– Estabelecimento de relações activas com a envolvente, precisa de pessoas bem informadas;

– Recolha, descodificação e tratamento de informações externas e internas;

– Preparação de soluções e respostas adaptadas;

– Preparação de soluções, e execução de planos de acção e de progresso em todos os domínios;

 

OS PAPEIS FUNDAMENTAIS DA EMPRESA

EMPRESÁRIO – Responsável pela criação e/ou pelo futuro e sobrevivência da empresa. É a sua obrigação garantir a sobrevivência da empresa;  Fundador – Accionista – Gestor

Gestor é o indivíduo que vai utilizar o conjunto estratégias para gerire atingir os objectivos da empresas, quer no processo de negociação com com os STAKEHOLDERS, quer na articulação com os trabalhadores.

 

Tem 2 tipos de papel: (Para com a organização)

Na relação com o exterior (enquanto decisor na gestão e na interacção com o exterior – estabelece todas relações negociais com todas as entidades nos mercados em que a empresa interage – exemplo: que nível de stocks a empresa deve suportar, que politica aplicar, que qualidade de matérias adquirir, com que entidades negociar empréstimos, que nível de tecnologia escolher, que perfil de pessoas recrutar, que tipo de produtos produzir);

Na relação com o sistema interno (implementar objectivos, motivar, liderar);

 

Nas micro: quem está há frente é o dono (padrão tradicional)

Nas macro /micro: por vezes são geridas por famílias – Nestlé, Ferrari, Gerónimo…

Há outros que são accionistas, que apoiam e votam neles – exemplo os bancos

Os gestores são contratados por accionistas (contractos de mandato temporário 2,3 anos) para gerirem a empresa. Ajudam a partilhar o conselho de administração com eles, tomam as decisões de estratégia.

CORPO SOCIAL – conjunto de todos os outros colaboradores, ambos têm um objectivo, ligados por uma solidariedade objectiva, a vários níveis:

          Relação de vizinhança e de convivialidade devido à proximidade quotidiana.

          Para defender em conjunto certos interesses contra outros intervenientes na vida da empresa. Há contactos entre as pessoas, é um mundo que os une.

          Trabalham de acordo com as mesmas políticas, de acordo com a uma estratégia que foi definida anteriormente. 

 Muito clara dos interesses comuns e das regras do jogo, tendendo assim a aparecer uma espécie de comunidade de empregados.

 

Exemplo: os dirigentes intermédios, no banco. Eles não devem tomar decisões. Antes têm de apresentar aos donos do capital a sua decisão. No banco é a presidente de caixa, mas é gerido pelos accionistas.

 

Posições/Estatutos de gestão

 

Ao gestor de topo corresponde o nível institucional, – Responsável por todo o processo de gestão, fazem as grandes decisões da empresa e estabelecem planos e objectivos para toda a organização – caracterizado por uma forte componente estratégica que determina o rumo a seguir e define políticas gerais que dizem respeito a toda a empresa.

Aos gestores intermédios corresponde o nível intermédio – Coordena o trabalho – com uma função principalmente táctica caracterizada pela movimentação de recursos a curto prazo e elaboração de planos específicos, consoante a área de actuação.

Aos gestores de 1ª linha – Gere o trabalho dos não gestores e estão envolvidos na produção/criação dos produtos – corresponde o nível operacional onde predomina a componente técnica, executando-se rotinas e procedimentos.

 

AS FINALIDADES DA EMPRESA

O objectivo estrutural de uma empresa  como agente económico, é a combinação de recursos eficientes (inputs)de forma a potenciar a sua capacidade de produção (output)em relação à quantidade, tempo, qualidade e preço.. Assim a eficiência (input/output) é um critério central de gestão empresarial (António de Sousa)

Input: matérias-primas

Output:  produto final

 

  1. AO NIVEL DA SUA FUNÇÃO SOCIAL

Tem o objectivo de:

– Criar riqueza ( Bens e Serviços) para satisfazer as necessidades das Pessoas, clientes  e da sociedade

Formar os seus colaboradores, dando-lhes qualificações necessárias para o bom desempenho da actual função ou de novas funções e novos papeis. Garantindo que não fiquem obsoletas profissionalmente, mas que mantenham algum valor em termos profissionais.

Contribuir para a melhoria da qualidade de vida e para a evolução da sociedade.

Há uma obrigação das empresas apostarem nos seus trabalhadores. Para terem sucesso é importante preparar e ajudar as pessoas a desenvolver as suas aptidões. Acontece muito nas empresas tecnológicas, Farmacêuticas, em que há o apoio em iniciativas sociais, cooperação com uma série de empresas inovadoras.

 

2.      AO NIVEL DO COMPORTAMENTO DOS DIRIGENTES

Tem o objectivo de:

 

 Garantir A SOBREVIVÊNCIA é um “imperativo supremo”;

 O CRESCIMENTO, instinto profundo ligado ao precedente;

 O LUCRO e o KNOW-HOW; O lucro é o resultado de uma boa gestão. Know-How é uma empresa que aprende.

 

3.       AO NIVEL DOS GRUPOS E DAS PESSOAS

Para todos os que participam nas actividades (a nível interno ou externo) da Empresa têm finalidades diversas, isto é, fornecedores, clientes, accionistas, comunidades – compram , alimentam outras empresas, distribuiem dinheiro aos seus colaboradores , etc.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s