ABORDAGENS SOCIO-COGNITIVAS DA APRENDIZAGEM

Publicado: julho 1, 2010 em Psicologia

ABORDAGENS SOCIO-COGNITIVAS DA APRENDIZAGEM

 

Teoria da Aprendizagem Sócio-Cognitiva

Estudo dos processos de pensamento subjacentes a aprendizagem uma vez que esta envolve pensamento, memoria e processamento de informação (como no caso da observação).

A aprendizagem não resulta só de associação entre estímulos, respostas (por condicionamento) e reforços.

 

Aprendizagem latente: o novo comportamento e aprendido mas só é executado quando é apresentado o reforço. Os indivíduos possuem mapas cognitivos do que os rodeia (estes mapas inicialmente são baseados em sinais e depois tornam-se mais abstractos). Os mapas cognitivos são uma representação mental de localizações espaciais e direccionais (muitas vezes não correspondem exactamente a realidade e são por isso imperfeitos).

 

Aprendizagem por observação, aprendizagem social, modelação ou imitação:

Quando o comportamento de um animal muda de modo relativamente permanente como resultado da observação dos actos de outro animal.

Não significa que se faca uma imitação ou reprodução exacta do comportamento observado. Muitas vezes o que se extrai são regras e princípios de conduta.

 

Processos de aprendizagem por observação

 

AQUISIÇÃO

Observa um modelo de comportamento e reconhece o que o caracteriza.

RETENÇÃO

Retêm na memória as respostas modelo.

DESEMPENHO

Se o comportamento do modelo for aceite como próprio e tiver consequências positivas é susceptível de conduzir a sua reprodução.

CONSEQUÊNCIAS

A consequência do comportamento irá enfraquecer (ou aumentar) a frequência com que ocorre.

 

Observação (Fases)

 

1.      Prestar atenção e percepcionar as características mais importantes do modelo;

2.       Recordar o comportamento;

3.      Reproduzir o comportamento;

4.      Estar motivado para aprender e reproduzir o comportamento.

 

→ E muito importante em actividades em que não é aceitável a tentativa-erro (e.g. medicina).

 

 

MODIFICAÇÃO DO COMPORTAMENTO

 

  1. Identificação de objectivos (comportamento desejado) e comportamentos alvo.
  2. Criação de um sistema de registo de dados e registo de dados preliminares (para efeitos comparativos – e.g. saber se houver ou não alterações).
  3. Definição de estratégia de mudança de comportamento (depende da situação e preferir-se o reforço à punição uma vez que o primeiro produz efeitos mais duradouros).
  4. Implementação do programa.
  5. Registo de dados após o programa (por parte dos participantes).
  6. Avaliação do sucesso do programa e readaptação face aos avanços obtidos (e.g. já não se reforçam todas as respostas mas apenas de 10 em 10 meses).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s