Psi_ESTADOS ALTERADOS DA CONSCIÊNCIA

Publicado: julho 1, 2010 em Psicologia

(2) MEDITAÇÃO

 

É uma técnica aprendida baseada no conjunto de exercícios que visam alterar a consciência, deslocando-a e redireccionam a atenção. No Oriente é considerado um estado que desenvolve diversas capacidades como a concentração, sensatez, sensação de paz, alegria, e de preparação para um conhecimento pessoal pleno.

 

TÉCNICAS DE MEDITAÇÃO:

 

  1. Exercícios de meditação de abertura: Procuram aumentar o conhecimento do ambiente externo, tornando o indivíduo frequentemente alerta e sensível às suas actividades diárias (ex. algumas práticas budistas).
  2. Técnicas de concentração:
    • O indivíduo senta-se num sítio isolado, sozinho ou num pequeno grupo.
    • Concentra-se apenas numa fonte de estimulação (ex: pessoa, um objecto, etc.), tendando não se distrair a factores externos.
    • Espera-se que a concentração intensa conduza ao “vazio”.

 

Durante a experiência:

Param todas as percepções activas e os pensamentos;

O indivíduo “sente-se renovado”.

 

Mudanças durante a medição concentrada

 

  1. Mudanças Fisiológicas
    • Alguns estudos (Wallace e Benson): sugerem que há diferenças a nível dos ritmos cardíacos e metabólico c/consumo de oxigénio e saída de dióxido de carbono) em relação ao sono;
    • Outros Estudos não confirmaram essas conclusões:

o O tipo e magnitude das mudanças diferiam;

o Às vezes o simples relaxamento produzia respostas semelhantes às da meditação.

 

  1. Mudanças no Estado de Consciência

 

    • O input sensorial, o repouso e as expectativas contribuem para os efeitos dos exercícios de meditação concentrada.
    • Input sensorial: percepções visuais desaparecem momentaneamente; Repouso: há um baixo nível de consciência, que contrasta com o estado de vigília (o que pode fazer c/k as pessoas se sintam +conscientes). Expectativas: as expectativas positivas influenciam a interpretação das sensações fisiológicas e psicológicas.

 

EFEITOS DA PRÁTICA DA MEDITAÇÃO

Os estudos baseiam-se nos testemunhos de praticantes com e sem experiência

 

EFEITOS A CURTO PRAZO

Uns: acham a meditação uma experiência extraordinária.

Outros: acham que é uma técnica de relaxamento.

 

EFEITOS A LONGO PRAZO

Uns: dizem sentir mudanças positivas no seu bem-estar físico e mental, na sua personalidade, na criatividade, etc.

Outros: dizem sentir efeitos adversos, depressão, ansiedade, confusão, etc.

 

DIFICULDADES NA INVESTIGAÇÃO SOBRE A MEDITAÇÃO:

 

  1. Os meditadores experientes investem pessoalmente na meditação por isso tende a emitir opiniões favoráveis.
    • Daí recorrer-se a testes e medições fisiológicas.

 

  1. As pessoas que praticam meditação tendem a ser invulgarmente motivadas e persistentes pelo que poderiam sentir a mesma felicidade sem meditação.
    • Daí recorrer-se a relatos de meditadores com muita e pouca experiência.

 

&&

 

(3) USO DE DROGAS

 

DROGA: Substância que afecta a estrutura ou o funcionamento do organismo vivo devido à sua natureza química.

 

EFEITOS DAS DROGAS:

Os efeitos das drogas não são iguais para todos e dependem da interacção entre o tipo e qualidade da substância, o estado do individuo e o meio ambiente.

 

TIPOS DE DROGAS (segundo os efeitos no SNC)

 

(1) Drogas depressoras Depressoras do SNC: Diminuem o SNC. Não são estimulantes. Provocam empatia, astenia e ausência comportamental

 

·         Hipnóticos: como Barbitúricos e Não barbitúricos

·         Analgésicos: Morfina, Heroína, Metadona

 

  1. Drogas estimulantes – ESTIMULANTES do SNC – Aumentam o SNC. Por meio de

Anfetaminas, Cocaína, Cafeína e outras xantinas (café, chá, cola), Nicotina.

  1. Drogas perturbadoras – PERTURBADORAS DO SNC – (Alteram o SNC): podem ser: Alucinogeneos (LSD), Haxixe, Marijuana, Acetona.

 

 

ÁLCOOL,

O seu efeito no SNC depende de vários factores

 

 

EFEITOS MAIS PROCURADOS NO USO DAS DROGAS:

 

  1. Aliviar a dor;
  2. Reduzir sensações indesejáveis ou desagradáveis (ansiedade, insónia);
  3. Aumentar a sensação de energia e potencia, reduzindo a sensação de cansaço, depressão e sonolência (cafeína, anfetaminas);
  4. Modificação no modo habitual de percepção e orientação (e.g. aumentar a criatividade, as vezes e por sugestão);
  5. Atingir diversos graus de embriaguez, atordoamento, euforia, sensações de flutuação ou vertigem (e.g. álcool, haxixe,inalantes).

 

 

Efeitos ao nível das dependências:

 

I.                    DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA: em falta da toma, há a Sensação de desconforto, vazio.

 

II.                  DEPENDÊNCIA FISICA: Manifesta-se através da privação por meio de transpiração, taquicardia, queda da tensão arterial, etc.

 

CLASSIFICAÇÃO DOS CONSUMIDORES SEGUNDO O TIPO DE SUBSTANCIA E A FREQUÊNCIA DO CONSUMO:

 

(1) EXPERIMENTADORES (usam 1-3 vezes) – São + importantes as variáveis sociais do que as características da substância em si.

 

(2) CONSUMIDORES OCASIONAIS (usam 2-3 vezes mês) – Normalmente não há dependência, valorizam mais outras actividades/experiências, usam se houver e o contexto for favorável.

 

(3) CONSUMIDORES REGULARES/HABITUAIS (usam 1 ou mais vezes semana) – Há dependência psicológica sobretudo em situação.

 

(4) CONSUMIDORES COMPULSIVOS ou TOXICODEPENDENTES – Uso diário ou em episódios de farra durante vários dias. A dependência é grande, girando toda a vida em torno do consumo (pensar, falar, procura-las, usá-las, etc.)

 

 

ALGUNS AUTORES PROCURAM RELACIONAR O CONSUMO DE DROGAS COM A PERSONALIDADE DOS INDIVÍDUOS:

 

– Níveis mais elevados de ansiedade, perturbações no desenvolvimento psico-afectivo;

Dificuldades psicológicas (ansiedade – e dificuldade em lidar com as situações que a desencadeiam – depressão, alienação, tédio interno, incapacidade de tolerar sofrimento mental);

– dificuldade de funcionar em termos mentais, necessidade de passar ao acto nas actividades comportamentais que implicam o corpo;

 

Em termos afectivos: tende a viver com demasiada intensidade os afectos dolorosos o que lhe cria medo incitando-o a fazer medo aos outros para assim deixar de ter medo;

– Imagem idealizada e sobrestimada do prazer (busca constante de prazer e consequente decepção porque o idealiza). Levam a construção de uma imagem idealizada que sabem nunca vão atingir.

– Problemas relacionados com baixa auto-estima: Falta de confiança; Falta do sentimento do seu próprio valor e de ser apreciado; Falta do sentimento de realização pessoal e da capacidade de realizar tarefas valorizadas pelos outros.

– Necessitam parecer-se com uma imagem diferente da que possuem deles próprios:

– Dificuldades de identificação com os progenitores (ausência, negligência, falta de afecto), imitam mais do que se identificam;

– Dificuldades em relacionar-se com os outros e interpretar situações.

– Identificam-se com os amigos que consomem e não com os que não consomem.

Inexistência de projectos de vida: frequente desinteresse pela vida e pelas coisas, sentimentos de medo e angústia em relação ao futuro do qual espera muito pouco;

 

Portanto: A Pessoa passiva, Com poucos amigos tem uma Ideia desvalorizada de si próprio e é péssimista em relação ao futuro para o qual olha sem esperança, vazio de desejos ou projectos.

 

 

TRAÇOS COMUNS DE PERSONALIDADE DOS TOXICÓMANOS

 

  • Carências imaginárias;
  • Manifestações comportamentais;
  • Carências identificatórias.

 

A DROGA AJUDA O SUJEITO: Com baixa auto-estima e com carências afectivas a confrontar-se com a realidade.

Mas quando termina o efeito, a realidade torna-se mais dolorosa, o que conduz a um uso compulsivo na tentativa de manter a auto-estima e combater a depressão.

 

• Dificuldades de inserção familiar e/ou profissional: elevada percentagem de solteiros, separados, sem domicílio, sem profissão estável (muitas vezes desenvolvem actividades ilegais).

 

 

PERSPECTIVAS sobre o uso de drogas:

 

CORRENTE PSICANALITICA: Explicação centra-se no indivíduo e suas formas peculiares de funcionamento.

 

CORRENTE COGNITIVISTA: Centram-se nas crenças irracionais que originam e mantém o abuso de drogas:

– Quem tem baixa tolerância e frustração:

  • A dor e o mal-estar são insuportáveis e impossíveis de tolerar, que leva ao uso das drogas para a fuga da dor e do mal-estar psíquico.
  • O uso de drogas impede do individuo pensar nas suas capacidades, levando o indivíduo a pensar que não é capaz de suportar a tensão para resolver o problema.

 

CORRENTE BEHAVIORISTA

 

  • Quando há sentimentos de euforia no uso de drogas (Reforço Positivo), Evita os efeitos desagradáveis da falta (Reforço Negativo) provocam: Respostas Incondicionadas
  • Pertença a uma subcultura/grupo (Reforço Positivo), Evita o medo de descontrole e isolamento (Reforço Negativo), provocam respostas Condicionadas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s