Psicologia_terorias Neofreudianas_Erikson

Publicado: julho 1, 2010 em Psicologia

 

ERIK ERIKSON (PSICANALISTA NORTE-AMERICANO)

 

1) Erikson reconheceu a contribuição de Freud para do desenvolvimento, mas apercebe-se que Freud dá demasiada atenção no poder da sexualidade e das relações familiares não valorizando como devia a influência dos factores sociais. Assim, Erikson amplia as teorias do desenvolvimento de Freud, mas realça a influencia que os factores sociais e psicológicas têm ao longo de todo o ciclo de vida, abrangendo também os adultos.

 

2) Erikson defende que a tarefa fundamental da existência é a construção da identidade. A identidade forma-se à medida que as pessoas passam por 8 estágios psicossociais. Cada estádio reconhece o estádio anterior a partir do qual emerge e em cada estágio há um conflito a resolver.

 

3) Os conflitos estão sempre presentes ao nascer, mas predominam em pontos específicos do ciclo de vida.

4) Cada conflito tem uma solução positiva e outra negativa, e depende do sucesso com que se ultrapassam os anteriores.

– A solução positiva resulta em saúde mental. a saúde mental não se adquire para sempre, pois depende das experiências posteriores (felizes ou infelizes) que podem contrariar as anteriores.

– A solução negativa resulta em comportamentos desviantes.

 

 

ESTÁDIOS PSICOSSOCIAIS DE ERIKSON – “Idades da vida”

 

A) 1.º idade: CONFIANÇA VS DESCONFIANÇA (do nascimento até 18 meses, paralelamente à fase oral de Freud)

 

Tem como base a pergunta: Será o meu mundo social protector?

 

  • O bebé depende totalmente dos outros principalmente da sua mãe, para satisfazer as suas necessidades. Se a mãe atender às necessidades do bebé, ele desenvolve confiança não só aos outros mas tb a si mm. Se receber pouco amor e atenção aprenderá a não ter confiança nem em si nem em outros (medos e suspeitas).

Tem como base a pergunta: Será o meu mundo social protector?

 

 

 

B) 2. º IDADE: AUTONOMIA VS VERGONHA/ DÚVIDA (18 aos 3 anos, paralelamente à fase anal de Freud)

 

Têm como base a pergunta: Será que consigo fazer as coisas por mim próprio ou tenho de depender dos outros?

  • É 1 fase em que a criança terá de aprender a lidar com a divida e a vergonha
  • Se os pais incentivam as habilidades das crianças, estas desenvolvem autonomia, c/controle dos músculos, impulsos, ambiente e sobre si mesmas.
  • Se os pais exigem demasiado cedo ou impedem essas habilidades elas sentem vergonha e dúvida.

 

C) 3.º IDADE: INICIATIVA VS CULPA (3 – 6 anos, paralelamente à fase fálica de Freud)

 

Tem como base a pergunta: Serei bom ou mau?

Nesta fase As crianças são activas, e têm orgulho naquilo que são capazes de fazer (ex. uso da linguagem, capacidades motoras, imaginação, curiosidade e pensamento). Em idade pré-escolar, preocupam-se com a aceitação dos seus comportamentos.

    • Se os pais aceitarem e estimularem isso, a criança aprende a abordar o que deseja e é reforçado o seu espírito de iniciativa.
    • Se os pais não aceitarem, punirem e desvalorizarem o que a criança faz esta sente-se culpada, insegura e hesita em agir de acordo com o que deseja.

 

D) 4.ª IDADE: ENGENHOSIDADE VS INFERIORIDADE (6 – 11 anos)

 

Tem como base a pergunta: Serei competente ou incompetente?

  • A criança entra num novo mundo, a escola, onde tem de aprender a lidar com metas, limitações, realizações e fracassos:
    • Se a criança sente que é bem sucedida, é competente, tem prazer em trabalhar e desenvolve o senso de diligência/engenhosidade.
    • Se a criança sente que é menos bem sucedida comparativamente com as outras crianças, então desenvolve o senso de inferioridade.

 

E) 5.ª IDADE: CRISE DE IDENTIDADE (12 – 20 quando começa a fase genital de Freud)

 

Tem como base a pergunta: Quem sou eu? O que irei ser?

  • Se as crises anteriores tiverem sido bem ultrapassadas, é mais fácil ao adolescente adquirir uma identidade.
  • O adolescente tem que integrar diversas auto-imagens numa única imagem:
    • Se a crise for bem ultrapassada o indivíduo tem consciência de quem é e para que serve.
    • Se a crise não é ultrapassada o indivíduo pode sentir confusão de papel. 

 

F) 6.º IDADE: INTIMIDADE VS ISOLAMENTO (20-30 anos jovens adultos)

 

Tem como base a pergunta: Deverei partilhar a minha ida com outra pessoa ou deverei viver sozinho?

  • Se bem ultrapassado, isto é, com laços sociais duradouros, e um relacionamento sexual c/alguém do sexo oposto, as pessoas são capazes de estabelecer relacionamentos íntimos c/ outrem, se não, isolam-se.

 

G) 7.ª IDADE: GENERATIVIDADE VS ESTAGNAÇÃO (30 – 60 adulto de meia idade)

 

Tem como base a pergunta: Serei bem sucedido na minha vida profissional? Produzirei algo de valor? Conseguirei contribuir para melhorar a vida dos outros?

  • Generatividade: preocupação com os outros, fazer algo por alguém, contribuindo para o bem-estar dos jovens tornando-lhe o mundo melhor.
  • Estagnação: egoísmo, ausência de doação.

 

H) 8.º IDADE: INTEGRIDADE VS DESESPERO (a partir dos 60 anos)

 

No estágio final da vida a questão chave: Teve a minha vida sentido ou falhei?

  • Integridade: a pessoa avalia positivamente que a vida valeu a pena.
  •  Desespero: quando a pessoa sente que desperdiçou a sua vida.

 

No essencial, muitas das críticas feitas aos freudianos podem também ser feitas aos neofreudianos.

 

    

 

Comparação das fases psicossexuais de Freud epsicossociais de Erikson

 

 

 

 

O que diferencia a teoria de Erikson e Freud?

Erikson tem uma concepção mais englobante do desenvolvimento, defendendo que este abrange todo o ciclo de vida. O desenvolvimento é entendido em termos psicossociais – o meio, família, meios sociocultural –  e não apenas em termos psicossociais como defendia Freud.

A teoria Psicossocial de Erikson tem como base psicológica o EGO como uma força positiva do desenvolvimento, e não o ID como Freud. Este ego, é criativo e esforça-se para conseguir o optimismo e s seus próprios objectivos e não limita-se a satisfazer os impulsos do Id.

Para Freud a época critica é a infância, para Erikson é a adolescência. Que determina a forma como o adulto se vai adaptar ao resto de sua vida.

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s