Sociologia_ Antecedentes da Sociobiologia

Publicado: julho 2, 2010 em Sociologia

      2. ANTECEDENTES DA SOCIOBIOLOGIA

 

Há, contudo, antecedentes à Sociobiologia como a descoberta do gene por Mendel, a descoberta do ADN por Watson e a teoria da selecção natural de Darwin que é a base de sustentação da Sociobiologia.

– A descoberta do Gene

– Descoberta do ADN

– Teoria da evolução das espécies

– Teoria Hereditaristas

– Teoria Racial da História

– Teoria da Relação Social

– Teoria Eugénica da base Biométrica

– Teoria da Formação Selectiva de Raças Superiores

 -Etologia

 

– A descoberta do Gene:

Mendel (1866 – Apresentada no inicio do Séc XX)

Muito importante para a Biologia.

Fez experiências sobre as características de umas ervilhas. Ele juntou as sementes para ver o que iria acontecer. Resultado umas eram vermelhas outras verdes. Chegou à conclusão que os genes eram independentes e que se juntam ao acaso. Herdamos características genéticas dos nossos pais em que há uns recessivos e outros dominantes. A partir deste momento aparece a descoberta do gene – existem características que herdamos e que quando há uma junção, esta acontece por acaso, e pode ter várias características.

 

– Descoberta do ADN:

Watson / Krick (1953) – vai apanhar o Wilson (1929)

Uns biólogos deram mais importância à Biologia outros à Genética – Altura em que houve grande indecisão.

A descoberta do ADN, foi vmuito importante para a área da Biologia sobretudo para a área da genética.

 

– Teoria da evolução das espécies:

Darwin

Os genes têm um comportamento concorrencial. Há uma abordagem evolutiva baseado na selecção natural em que o gene tem uma atitude concorrencial pois mais fortes são os mais aptos e garantem a sobrevivência.

 

 

– Teoria Hereditaristas:

2.ª metade do sec XIX e inicio do sec XX – importante para a política do Hitler.

Com as grandes descobertas inicio do sec XX começam a defender que somos influenciados pela Herditariedade.

 

– Teoria Racial da História:

Gobineau / Chamberlain – Franceses

Ao longo da evolução da Historia havia civilizações com maiores mudanças. Existia a raça branca (com ramo Areano – mais puro, mais temíveis, mais capazes) e os negros.

Eles consideravam  que havia um grande perigo de fazer mistura destas raças. Para se preservar as civilizações era necessário preservar a raça branca. Chamberlain defendia o gene teutónico – gene herdado das civilizações gregas. Ele considerava que ao longo da História houve situações que se juntavam os genes do grupo teutónico que era o mais forte.

 

– Teoria da Relação Social:

Amon / Lapouge

Parte da ideia de que em termos físicos temos caracteristicas variadas. O próprio crânio tem variações que dão origem a 3 grupos distintos:

 – Homo Alpinus – ramo mais forte – era loiro, forte, corajoso, proveniente do Norte da Europa. – Homo Mediterranius – um pouco menos corajoso.

O Homo Alpinus embora fosse o mais forte e o mais corajoso, estavam a ser aniquilados – morriam mais na guerra (pois tinham maior coragem em enfrentar a guerra), iam para a igreja e não se produziam (pois eram os mais inteligentes).

Deste modo estes autores fizeram divisões. Defendiam que os Homo Alpinus deviam de ser protegidos. O maior perigo era os indivíduos que são judeus que iriam tornar a raça inferior.

 

Teoria Eugénica da base Biométrica:

Galton

A teoria da evolução correspondia a uma parte de indivíduos mais poderosos e  indivíduos menos poderosos. (gráfico)

Deve-se promover a reprodução dos indivíduos que lideram a sociedade, que fazem as classes priviligiadas.  – Politica adoptada em Inglaterra. Procuravam reproduzir aqueles considerados por excelência, e diminuir os outros. Promover a reprodução dos mais aptos.

Isto deu origem a um Movimento Eugénico. Mas em termos políticos, acabou por ser desastroso – Movimento utilizado pela mão do Hitler.

 

 

 

Teoria da Formação Selectiva de Raças Superiores:

E. Hontigon

Ligeiramente diferente da t. Eugénica. Coloca o acento tónico no património cultural. O meio ambiente é que vai proporcionar o desenvolvimento de características inatas que nós temos.

Há indivíduos que vão desenvolver-se, evoluir-se mais. São grupos restritos: Exemplo: Migração: São pessoas mais corajosas, pois não têm medo de enfrentar as adversidades – conseguem enfrentar as barreiras do ambiente cultural. Portanto, Há de facto uma evolução, mas há muitos que não têm coragem, enquanto outros são mais corajosos, capazes de enfrentar novas situações de alteração do ambiente cultural.

 

O ultimo antecedente, deu alguma confusão:

 

Etologia:

Aparece apenas no sec XX – É uma ciência que estuda os comportamentos sociais dos animais.

(Foi utilizado pela 1.º vez no sec 17, considerando os gestos como sendo representativos de cada um, a sua forma de pensar, etc, mas não havia instrumentos.)

Mas há conclusões anteriores:

 Darwin deu uma contribuição. Observou os animais domésticos – Livro: ”A expressão dos animais” – defende que se os animais pensam, logo também têm sentimentos.

Mas por volta de 1935 – Konrad (1903 – 1989)– como já havia várias compilações ele juntou todos os conceitos e fundou a ciência Etologia.

– Robert Andrey

– Richard Darkins (o gene egoísta)

 

A Etologia tem estudos muito importantes, que servem de inspiração para a sociologia. Todos nós somos animais, temos as mesmas necessidades dos animais, mas é necessário fazer a distinção: Observar o meio animal, e que existem características diferentes.

 – Capacidade de gerar cultura – Só existe nas sociedades humanas. Só isto impede de pensar que aquilo que é sociedade animal pode-se transportar para as sociedades humanas.

– Sociedades Humanas têm características inerentes, logo não é possível.

– Os Etnologistas sabem que não é possível fazer a generalização, mas podem achar algumas coisas similares.   

                       

O Lorenz

Verificou que houve um bando de pássaros que se instalaram no seu quintal e teve a possibilidade de observar: A 1.ª coisa que eles faziam era arranjar o melhor poiso, quando chegavam. O melhor poiso permitia que verificassem os inimigos, tinha o melhor acesso à comida. Verificou que quem arranjava o melhor poiso era o mais forte. Havia portanto uma hierarquia. Este também escolhiam as fêmeas, em que a parceira mais forte era o que tinha o macho mais forte, e esta fêmea mais forte podia picar outras fêmeas. Ele verificou também que houve um macho que não arranjou poiso e foi-se embora. Esse pássaro lutou para obter alimento e sobrevivência sozinho. Quando voltou, esse pássaro desafiou o mais forte e toda a estrutura hierárquica se modificou

Isto está na questão da Heriditariedade – (em qualquer sociedade humana e animais) a melhor maneira de gerir o nosso território é de forma individual e privada. Uma vez que o território é privado, cada um é do seu.

Deste modo os Etnológicos foram aproveitados do ponto de vista político, para tentar perceber melhor as sociedades. Tem de se mostrar os pontos que são idênticos com sociedades humanas e sociedades animais, em questões de liderança e território.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s