Sociologia_ Sociobiologia

Publicado: julho 2, 2010 em Sociologia

A SOCIOBIOLOGIA

“Ao principio era o gene”

Todo o comportamento está relacionado com os genes e para compreender os genes, temos de compreender os como apareceram os genes:

 

1.      Sopa orgânica onde existiam vários elementos, que se iriam agrupar-se em afinidade

2.      Depois, agregações por semelhança – Moléculas

3.      Estas vão se juntando a outras moléculas idênticas (processo egoísta) dando origem ao gene

(fazem este processo todo para sobreviverem)

 

 

O processo egoísta e cego é tido como o mais significativo na abordagem da Sociobiologia porque este quer garantir a sua sobrevivência e também a sua replicação.

 

Assim, pode-se definir como princípios da Sociobiologia que todo o comportamento do gene é egoísta e rege-se pelo princípio da selecção natural, no qual os genes mais fracos dão lugar aos genes mais fortes. Assim, tem um comportamento concorrencial e individual, atendendo aos seus interesses – tem que se criar boas condições para os genes terem a máxima reprodução possível.

 

1.ª Conclusão: Processo de selecção

Os genes tentam a sua máxima replicação – tentar eliminar os outros para tentar produzir mais.Todos os animais vão ter esta tentativa de liderar a concorrência. Os genes existentes são aqueles que promovem a sua replicação

 

2.ª Conclusão: Selecção de Parentesco

Os genes podem ter certos comportamentos para conservar o seu grupo – Parentesco.

 

A Sociobiologia (Wilson) vai usar esta ideia e vai utilizar exemplos de comportamento que não se enquadram nestes princípios. Esta estratégia segue o princípio de passar pelos animais microrganismos para os animais primatas até as sociedades humanas.

 

__________________Processo de selecção – vários exemplos:

 

Exemplo 1:

XY locaris (visível ao microscópico)

É um pulgão e têm um comportamento que não tem lógica porque para a Sociobiologia, todos os animais têm em vista a sua máxima replicação. O Xylocanis é um animal que tem um comportamento homossexual e bissexual, o que, no primeiro caso, não há replicação. O pulgão tem uma concavidade que quando têm relações sexuais essa concavidade fecha. Assim, quando machos violam machos depositam também ai o sémen para aumentar a concorrência, e quando estes machos “violados” vão acasalar com as fêmeas inserem 1.º o seu gene (do violador).

 

Exemplo2:

MDubious (vive nas tripas do gato)

O macho também tem um comportamento bissexual, este organismo vivo tem, aparentemente, um comportamento que é uma perda de tempo. Os machos têm uma glândula que a seguir à relação sexual fecha o órgão sexual, eliminando a concorrência porque assegura o órgão da fêmea quando esta tem relações sexuais com outros machos. O macho está a eliminar a concorrência, aumentando a possibilidade de replicar os seus genes. Quem viola é o mais forte.

 

Exemplo 3:

Obreiras (Abelhas que trabalham para alimentar a rainha)

Para além da concorrência, também há o principio da selecção natural – os genes mais aptos eliminam os mais fracos. Para a Sociobiologia não faria sentido o gene ter princípios cegos, egoístas e concorrencial.

As abelhas são estéreis e não visam a replicação, mas são elas que alimentam a rainha e esta consegue replica-se ao máximo. Consideram mais útil” alimentar a rainha,  fazem um sacrifício (por vezes morrem), para que a rainha consiga replicar-se. De forma indirecta conseguem a replicação dos seus genes.

 

Exemplo 4:

Louva a deus

 A fêmea mata o macho. A fêmea move-se mais que o macho e o macho coloca-se em cima da fêmea, mas como ela se movimenta mais, deixa-o cair e a fêmea corta-lhe a cabeça, não morrendo de imediato. Neste caso, houve este gene que conseguiu sobreviver, porque há uma espécie de compensação – na relação sexual, quando a fêmea decapita o macho, ele liberta o sémen e consegue aumentar a replicação dos seus genes.

 

Exemplo 5:

Veados da Montanha

Vivem em grupos que representam a família quando se aproxima o predador protegem a prol e a fêmea – protegendo o património – A fêmea emitindo sons para esta poder fugir. Neste caso, a partilha de genes é cara à fêmea e à sua prol e é, por isso, que a fêmea produz sons, para proteger a sua prol e assim conseguir a replicação de genes.

 

Exemplo 6:

Patos dos Canaviais

Os patos vivem em grupo, são monogâmicos. Estes grupos são constituídos por mais machos ou mais fêmeas, se bem que há, por norma, mais machos. Há um processo onde se estabelece uma hierarquia: os mais fortes são aqueles que encontram o seu par. Os machos que ficam sem fêmea “revoltam-se” e tentam violar as fêmeas dos outros machos. Esses machos que já têm fêmea protegem-na, lutando com o macho “solteiro”, porém, estes solteiros arranjam forma de garantir a replicação dos seus genes, o que os leva a juntarem-se todos para violarem as fêmeas, fazendo com que haja a fuga do macho mais forte. Quando os patos solteiros fogem, o pato da fêmea volta e também viola. Assim, ele viola a parceira para se poder colocar em concorrência, querendo também depositar o seu sémen para os seus genes se reproduzirem.

 

Exemplo 7:

Doença de Huntingon (doença degenerativa)

Os indivíduos não sobrevivem para além dos 30 anos. O gene vai acabar por matar o ser humano – fica muito fragilizado – e não vai permitir a sua máxima replicação. Em compensação, estes indivíduos têm uma maior capacidade sexual e maior fertilidade a fim de maximizar as relações sexuais para possibilitar a reprodução de genes. Tal doença não é hereditária.

 

Exemplo 8:

Os cucos

Os cucos não chocam os ovos. Colocam os ovos noutros ninhos de pássaros de outr raça, cujos ovos são idênticos e por isso engana-os. Os cucos quando nascem a primeiras coisa que fazem é limpar o ninho, os outros ovos são deitados para fora do ninho. É a “mãe” que tem que arranjar alimento mas, quando não consegue, ela sacrifica-se para garantir a vida dos cucos. A sociobiologia também explica que As aves tomam conta dos cucos porque fazem muito barulho, para evitarem os predadores.

 

Pergunta-se se isto não será ALTRUÍSMO.

 

Os genes são sempre egoístas, utiliza estratégias, mesmo que seja altruísta há sempre um gene egoísta.

 

&&&&

 

APLICAÇÃO DOS FUNDAMENTO EXPLICATIVOS DA SOCIOBIOLOGIA ÀS SOCIEDADES HUMANAS.


Wilson diz que estes princípios podem ser aplicados aos seres humanos:

                 – As sociedades humanas, seguindo a lógica sociobiológica, iriam originar uma conversão das normas sociais.

Assim, para dar exemplos das sociedades humanas, a Sociobiologia utiliza os princípios:

-selecção de grupo

-selecção de parentesco

O Wilson não sabia das ciências sociais por isso defendia apenas “o gene”

 

– ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________Selecção de grupo:

No grupo existem elementos que se sacrificam em favor de todo o grupo. Os genes tentam a sua máxima replicação – tentar eliminar os outros para tentar produzir mais.Todos os animais vão ter esta tentativa de liderar a concorrência. Os genes existentes são aqueles que promovem a sua replicação

 

Exemplo1 :

 os cães da pradaria

Estes cães interagem em grupo. Existe o cão que vigia, tendo a função de avisar quando aparece um predador  e  só depois de eles se esconderem é que ele se esconde – é o ultimo a esconder-se! Esta é uma estrutura de selecção de grupo e parentesco, onde o cão que vigia sacrifica-se em favor de outros,  porque os outros elementos do grupo apresentam maior quantidade de genes. (noção de quantidade)

Refutação.

Questiona-se se a explicação da Sociobiologia em relação ao cão de vigia é plausível, dizendo-se que é ilógico porque os cães não têm raciocínio matemático nem cientifico e, por isso, não sabem qual é o cão com mais ou menos genes.

 Exemplo2:

A Homossexualidade

A homossexualidade tem a função de proporcionar bem-estar aos outros. Antigamente, os homossexuais eram curandeiros, e tinham o papel de providenciar saúde ao restante grupo. A proporcionarem bem-estar, permitiam que o grupo vivesse melhor. Na sociedade moderna, os homossexuais estão ligados às artes, e promovem o nosso bem-estar, criando uma atmosfera boa.

Refutação:

Nem todos os homossexuais são artistas e nem todos os artistas são homossexuais. Nem todos os homossexuais promovem bem-estar.

 

 

Uma vez mais a sociobiologia entra em conflito e perde terreno, e começa mais facilmente a ser derrubada.

Se as permissas não forem provadas, se não tiverem lógica faz pensar e concluir que a sociobiologia não é uma ciência.

 

-________________________ Selecção de Parentesco:

Os genes podem ter certos comportamentos para conservar o seu grupo – Parentesco.

Mas a sociobiologia apresenta uma tentativa de alterar o código de valores

 

É com base nesta explicação que a Sociobiologia demonstra a aplicação às sociedades humanas:

 

Exemplo 1:

 – Instinto maternal (selecção de parentesco)

Comportamento altruísta – Os pais tomam conta dos filhos e sacrificam-se por eles, tratando do bebé até ela ser auto-suficiente. Esta é uma estratégia cega e individual. Quando a mãe se levanta a meio da noite para ver dos filhos só está a tomar conta de 50% dos seus genes, não está a ter um comportamento altruísta, mas egoísta, em que se deve cuidar do bebé, para ele ficar bem e para proteger o seu gene.

A sociobiologia defende que “nós somos veículos transportadores de genes” – teoria.


Exemplo 2:

– Organização e planeamento familiar (selecção de parentesco)

 Baseado numa questão: O que devemos fazer? Devemos ter muitos filhos ou ter poucos e proporcionar o melhor para eles? A estratégia dos genes no planeamento familiar é a de qualidade e quantidade. A quantidade é para garantir a máxima replicação dos genes ao ter muitos filhos, no entanto a quantidade poderá não promover qualidade. A qualidade tem a ver quando os pais estão a apostar numa criação de condições mais favoráveis. Além disso é necessário haver qualidade para se poder produzir. Diz respeito a um melhor acesso escolar, e outros, para que esses genes possam proporcionar genes mais fortes e aptos no futuro.


Exemplo 3:

– Nepotismo (cunha) (selecção de parentesco e grupo)

Existem formas diferentes de encarar o nepotismo, dependendo da sociedade em questão e pode ser negativo. O indivíduo consegue arranjar emprego por favorecimento de alguém. Há, assim, uma intenção que varia de sociedade para sociedade. Nos EUA uma relevante percentagem dos jovens arranja emprego através da cunha, Nepotismo. O problema é quando uma pessoa arranja emprego não tendo qualidade para essa função. Quando falamos de nepotismo, falamos de algo depreciativo (sentido pejorativo). É a cunha no mau sentido – é contratar um amigo sem saber como ele é em termos técnicos.

 

 Na Sociobiologia este tipo de favorecimento é um processo no qual o individuo (o beneficiado) venha a ter melhores condições para assim, quando as condições sociais são boas, consegue-se replicar o máximo de génese o individuo que é favorecido vai ter essas condições.


Exemplo 4:

 – Infidelidade Masculina

Há uma tentativa de reconversão de valores sociais. No caso da mulher, como tem que esperar 9 meses para garantir a replicação dos seus genes, a Sociobiologia diz que o homem não o tem que o fazer, ou seja, a estratégia do homem para replicar os seus genes é a infidelidade, pois não faz sentido esperar 9 meses. Neste caso, não há que condenar a infidelidade masculina, pois só é aceite quando a mulher está grávida.

 

Estes exemplos são obstáculos Naturalistas à ciência –  Epistemologia

 

O Wilson não sabia das ciências sociais por isso defendiam apenas “o gene”. Muitas das suas explicações eram meramente expeculativas.

A genética é uma ciência que a sociobiologia não consegue explicar.

____________________________

“Á parte”

Livro: O gene egoísta  = Richard Dolskim

Foi best seller mundial

Dolskim era católico e zangou-se com a religião sendo hoje ateu. Era o discípulo do Darwin e foi considerado o 3.ª cientista mais importante da actualidade.

Filme acerca do gene egoísta: Documentário onde aparece o Dolskin. Dolking dizia que o gene é egoísta e considera que o altruísta pode ser aprendido, porque temos a capacidade de gerar cultura. As nossas sociedades vão evoluindo.

 www.dailymotion.com/video/x8e3w6_sociobiologia-el-gen-egoista-ed-wil_scool

­­­­­­­__________________________________

 

No entanto há acontecimentos que a sociobiologia não consegue explicar:

Os conceitos de selecção de grupo e de parentesco foram abandonados porque não tinham quaisquer fundamento de consciência científica.

 

 

REFUTAÇÃO SOCIOLÓGICA DAS TESES DA SOCIOBIOLOGIA

 

O grande problema da Sociobiologia é a explicação do comportamento altruísta.

 

A sociobiologia não é capaz de explicar:

1.      Aborto provocado e espontâneo

2.      Adopção / Apadrinhamento

3.      Ilhéus Trobriand

4.      Grupos da polinésia

 

Estes, São acontecimentos contrários á sociobiologia.

 

1 – Aborto provocado e espontâneo:

É o aborto (espontâneo – a existência de um gene mata outro – ou provocado – a vontade do individuo em não se querer reproduzir), a que propósito é que um gene interrompe o processo de reprodução? A Sociobiologia não encontra explicação.

Em relação ao aborto provocado: há uma contradição, porque vai matar impedido que haja uma expansão de seu gene.

Em relação ao Aborto Espontâneo: se assim fosse como a sociobiologia defende, não consegue explicar o gene que impede que se desenvolva e mata.

 

2 – Adopção / Apadrinhamento:

Não existe laços de sanguínidade, mas tem a ver com a relação afectiva que se assume.

Como é que se explica que um indivíduo tome conta de um organismo de quem não partilha nenhum gene e sacrifica-se por ele. Estão a criar alguém que não é do seu sangue, não é seu gene. Daí que não vai desencadear a proliferação de seu gene. Quer-se com isto dizer que se rejeita logo os princípios da Sociobiologia.

 

 

 

3 – Ilhéus Trobriand (Malinowski):

(comunidade piscatória). Os homens ficam fora cerca de dois anos e quando voltam as mulheres estão grávidas ou já existem crianças – os homens ficam felizes, pois as gravidezes e as crianças são produto de intervenção divina. Não há laços sanguíneos, mas são filhos daqueles pais, logo os princípios da Sociobiologia não se aplicam.

 

4 – Grupos da polinésia

Havia duas práticas : (1) não é permitido o infanticídio do primogénito. Quando tinham o primeiro filho, esse era entregue aos Deuses, levado pelas ondas, pois acreditavam que se não o fizessem algo de grave poderia acontecer nas suas vidas. É a chamada crença ritualizada. Estão a sacrificar o seu património genético que já existe, estão a matar. (2) Quando entravam em conflito com as guerrilhas à volta, e quando capturavam alguém, eles ficavam-lhes com os seus filhos, e cuidavam deles como se fossem seus filhos. Também caso há os laços de sanguinidade.

 

Nas sociedades humanas, são dados como exemplos outros grupos que não refutam tão bem a Sociobiologia.

 É o caso do casamento fantasma que acontece no Sudão. Se numa família não nascerem homens, não há, como é lógico, a continuidade da linhagem, então, dentro do grupo de raparigas, a mais velha para dar continuidade, arranja um amante de forma a ter filhos. O amante tem que abdicar dos filhos em função do “fantasma”.

Wilson tinha ainda o objectivo de mostrar que a Sociobiologia era capaz de explicar todos os comportamentos animais e aplica-las nas humanas. Algumas explicações fazem sentido mas começam a incomodar a comunidade científica.

 

­­­­­­­­­­­

Como se pode ver, a Sociobiologia não respeita a abordagem de produção cultural, o que é um elemento diferenciador das sociedades humanas da dos animais.

A Sociobiologia pode confundir-se com a etologia, mas tal não pode acontecer porque a etologia estuda os comportamentos sociais dos animais, mas não atribui esses comportamentos ao ser humano.

 

A Sociobiologia é uma teorização construída de base, podendo-se comparar com o “Fim da História”.

Conclui-se assim que qualquer que seja o obstáculo naturalista, é necessário rigor na sua análise e nos seus pressupostos, na medida em que é perigoso fazer-se comparações entre princípios biológicos e etnológicos (exclusivamente aplicados ao mundo animal) e definir igualmente que existem raças humanas que tendem a ser superiores a outras.

 

São obstáculos epistemológicos porque estão a tentar aspectos de fenómenos sociais relacioná-los com a biologia. Há comportamentos sociais que tem de ser explicados não pela biologia mas pela sociologia.

 

Esta teorização, a Sociobiologia, não pode ser considerada uma ciência e é tida como incentivos aos novos movimentos de extrema-direita.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s