Sociologia_Hierarq Cibernética e sist Geral da Anção_Parsons

Publicado: julho 2, 2010 em Sociologia

 

–  SISTEMA GERAL DA ACÇÃO E HIERARQUIA CIBERNÉTICA;

 – A sua teoria tem a ver com o estudo da acção, “a conduta humana consciente e inconsciente”

 – De que forma é que as acções são desencadeadas por vários processos;

 – Como é que se desenvolvem no seio dos grupos;

 

 

– E defende que as nossas acções de desenvolvem em 4 contextos:

 

 

ü    PSICOLÓGICO  

ü    SOCIAL

ü    BIOLÓGICO                  Contextos onde decorrem as acções  (SÃO GLOBAIS)

ü    CULTURAL

 

 – Enquanto exercício podemos contextualizá-los da seguinte forma:

 – Podemos dizer que é uma Hierarquia de Interdependência, e ocorrem em simultâneo.

Psicológico – Está ligado às motivações psíquicas

Social – Tem a ver com as normas de inter-relações com os outros

Biológico – Tem a ver com as nossas necessidades fisiológicas. As necessidades tem de ser satisfeitas.

Cultural – Está ligado aos valores, padrões, comportamentos, normas sociais e aos valores apreendidos ao longo da nossa socialização.

 

– Estes 4 valores dão origem a uma HIERARQUIA CIBERNÉTICA, pois nestes contextos da acção são gerados dois fluxos importantes:  energia e informação.

 

Uns terão mais informação e menos energia, outros terão mais energia e menos informação.

 

Neste sentido e seguindo a hierarquia cibernética ficam expostos hierarquicamente da seguinte forma:

 

1.      O cultural é o que aparece em primeiro lugar, pois é onde se verifica mais informação, directamente  ligada aos padrões culturais, com as normas, com os valores. Podemos ainda dizer que a cultura é um conjunto de símbolos pelos quais nos regemos.

 

2.      O Social é aquele contexto que existe nas interacções sociais que se estabelecem uns com os outros;

 

3.      O Psicológico tem a ver com as motivações psíquicas – A nossa mente controla a nossa energia, pois contem muita informação; gera apenas fluxo de enrgia.

 

4.      O Biológico – é aquele que não gera informação mas gera fluxos de energia, tem a ver com a satisfação das nossas necessidades fisiológicas, é também neste contexto que se dá o controlo e a regulação do sistema.

      

      Nota: – No entanto, o contexto Biológico é o mais dependente de todos os contextos, pois apesar de gerar enormes fluxos de energia é o que contém menos informação, fundamental para o bom funcionamento do sistema.

 

Podemos considerar o seguinte esquema, seguindo a hierarquia cibernética, que é considerada uma hierarquia simétrica. 

 

 

 

 

O social e o psicológico são os pontos intermédios da hierarquia.

 

Para reter:

AS ACÇÕES DECORREM SEMPRE AO MESMO TEMPO NESTES 4 CONTEXTOS,

Mas não nos esqueçamos, que estes 4 contextos são vistos como subsistemas.

Parsons considera que cada um destes conceitos é considerado um subsistema. Centrou-se por auto-regulação e controlo. A hierarquia cibernética é uma hierarquia simétrica.

Não nos esqueçamos, que o sistema necessita de se adaptar às mudanças.

 

A nossa conduta, realiza-se conforme estes 4 conceitos. As nossas acções acontecem em 4 subsistemas e os sistemas necessitam de se ajustar ás condições de mudança. Em todos os sistemas existem problemas de ajustamento que devem de ser resolvidos.

 

  – IMPERATIVOS FUNCIONAIS:  

SISTEMA GERAL DA ACÇÃO E SISTEMA SOCIAL; ESQUEMA AGIL.

 

Segundo Parsons em todos os sistemas existem problemas , e a esses problemas ele designou como IMPERATIVOS FUNCIONAIS, diz ainda que esses problemas têm que necessariamente existir  e que servem para resolver os problemas de ajustamento.

 

Diz ainda que o Sistema tem 4 funções designadas por  ( IMPERATIVOS FUNCIONAIS), os quais servem para resolver os problemas de ajustamento.

 

São 4 as funções.

 

ADAPTAÇÃO – ADAPTACION  – Todos os sistemas têm que se adaptar todos os ambientes, pois todos os sistemas são abertos; é obrigatório!

Esta é a função através da qual o sistema se adapta ao exterior e o exterior se adapta ao sistema. Troca constante de informação e energia.

 

PROSSECUÇÃO DOS OBJECTIVOS – GOAL ATTAINMENT – É a função de alcançar os objectivos;

 – Todos os sistemas têm esta função.

 – É essencial para resolver todos os problemas de ajustamento dos sistemas a fim de se manter o equilíbrio dos mesmos.

 

INTEGRAÇÃO – INTEGRATION – É o imperativo funcional que controla todos os outros imperativos;

 – Fazendo a vigilância e supervisão de todos os outros imperativos, a fim de impedir que haja desiqulibrios no próprio sistema. Encontrar a coesão para evitar desiquilibrios, hostilidade e conflitos

 – Função de coordenação de todos os imperativos funcionais, evitando mudanças bruscas

 

ESTABILIDADE NORMATIVA – LATENCY – Está relacionada com o conjunto de normas, valores sociais, padrões culturais que contribuem par a estabilidade dos sistemas;

 – Está relacionada com a motivação que os indivíduos têm que ter, para poderem cumprir as normas instituídas pelos sistemas;

 – Podemos dizer que a existência de estabilidade no sistema, surge através de uma partilha de normas, estabilidades e valores.

 

PARSONS, após delinear estes imperativos funcionais, corresponde-os aos contextos que já foram mencionados anteriormente na hierarquia cibernética.

 

 

– E diz ainda que cada contexto da acção corresponde a um IMPERATIVO FUNCIONAL.

ESQUEMA

 

Parsons –  diz que o Sistema Geral da Acção, é o conjunto das condutas que são desenvolvidas num contexto global . Nós fazemos parte do sistema, temos interacção entre nós.

 

 – É então que Parsons, elabora um esquema que ficou conhecido como o SISTEMAS AGIL, onde irá surgir a aplicação dos imperativos funcionais com os contextos da acção.

 – E que ira servir para mostrar a interdependência que existe no Sistema Gera da Acção.

 

As iniciais que se encontram nos vértices do rectângulo são as inicias dos Imperativos Funcionais, só que estão em Inglês.

 

ESQUEMA  AGIL  DO  SISTEMA  GERAL DA ACÇÃO

Explicar que as nossas acções ocorrem num contexto global  – interdependência.

 

 

 

 

 

L – ESTABILIDADE NORMATIVA – LATENCY

I  – INTEGRAÇÃO – INTEGRATION

A – ADAPTAÇÃO – ADAPTACION

G  – PROSSECUÇÃO DOS OBJECTIVOS – GOAL ATTAINMENT 

 

PARSONS –  Neste esquema, faz uma abordagem Macro, relativa aos Imperativos Funcionais, a partir de uma abordagem Micro relativa aos contextos da acção, que regulam as nossas acções.

Os imperativos funcionais são os problemas que devem de ser resolvidos.

os Imperativos Funcionais são dinâmicos.

O cultural é o menos dinâmico, tem um ritmo mais lento que os outros imperativos.

 

 – IMPERATIVOS FUNCIONAIS E COMPONENTES ESTRUTURAIS

– Parsons estabelece uma relaão entre imperativos funcionais e Componentes Estruturais.

 

Define Componentes Estruturais, como os elementos que se mantêm estáveis ao longo do tempo num determinado sistema;

– são fundamentais para o controlo das sociedades, pois numa sociedade têm que existir determinados alicerces, para que a mesma seja capaz de dar resposta em situações de instabilidade funcional.

 

Parsons – também efectuou um esquema para relacionar os Imperativos funcionais com as Componentes Estruturais. O esquema é o seguinte:

 

 

 

 

IMP. FUNCIONAIS———COMPONENTES ESTRUTURAIS

 

Adaptação——————-Papéis

 (que são a unidade básica do sistema) – Nos desempenhamos uma multiplicidade de papéis durante toda a nossa vida; Mas há sempre um momento particular em que desempenhamos um determinado papel – que se designa por estabilidade temporal.

Parsons- diz ainda que durante a nossa vida nos vamos adaptando a determinados circunstancias que nos vão surgindo.

 

Prossecução dos objectivos—————-Colectividades

 Que são as instituições Sociais – Escola, Igreja, Família, que nos vão ajudar a alcançar os nossos objectivos. As colectividades estão ligadas às ideologias, aos valores, à família e as relações sociais.

 

Integração———————–Normas

As normas de funcionamento da sociedade que regulam as nossas interacções, mas também as que regulam a sociedade como um todo.

 

Estabilidade Normativa———————-Valores 

Que estão muito enraizados e são elementos muito estáveis, são fundamentais para que uma sociedade tenha uns  alicerces bem sólidos.

 

Parsons – Não nos esqueçamos que Parsons ao inter-relacionar os imperativos funcionais com as componentes estruturais, ele acaba por fazer um encontro entre noção de estrutura e noção de função

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s