Sociologia_Parsons variaveis de configuração

Publicado: julho 2, 2010 em Sociologia

– SISTEMA SOCIAL E VARIÁVEIS DE CONFIGURAÇÃO

VARIAVEIS  DE CONFIGURACAO – Quando agimos estamos sempre a resolver problemas, estamos sempre a fazer escolhas, essas escolhas são entre variáveis de configuração – são escolhas que os indivíduos devem realizar para que as situações sejam dotadas de sentidos.

 

Estas variáveis de configuração –  são dicotomias de tomadas de decisão, e são 2 . São diferentes, podemos escolher uma delas e nunca as duas pois são incompativeis.

 

Tipo A se situa a (Esfera  emociona)_______ Tipo B  (Esfera Instrumental)

 

Adscrição_____________________________Desempenho

– Adscrição:Características dos indivíduos – Tem a ver com suas acções / intrínsecas ao próprio  – ou extrínsecas ;

 – Desempenho: Aquilo que o individuo consegue desempenhar.

Tem a ver com o sistema social, escolhemos as características sociais, etnia, género, identidade ou agimos a esse individuio de acordo com as suas caracteristicas

 

 

Orientação p/si __________________ Orientação p/ colectivo

Orientação p/ si: As nossas acções são orientadas para nós , Ou seja para a esfera privada  – Olhamos para nós 

Orientação p/colectivo: As nossas acções são orientadas para o colectivo, Ou seja para a esfera pública  – Olhamos para o todo 

 

Exemplo: escola: (1) sendo instituição vai ter os seus alunos. Há um,as que escolhem atendendo às condições materiais, outras não.

 

Afectividade_______________________ Neutralidade efectiva (não tem afectos)

Se a sua acção vai ser de carácter emocional ou neutro.

A nossa acção pode ser afectiva, ou pode ser odiada. Podemos pensar mais numa situação agradável ou podemos colocar esse de lada Exemplo: Relação médico paciente

 

Paticularismo______________________Universalismo

 

Tem a ver com a avaliação que fazemos das acções dos outros.

Particularismo: Está ligado à avaliação dos outros, nos podemos avaliar as acções através das acções particulares, não olhando igual perante a lei.

Universalismo: Está ligado a aspectos que são iguais a todos no geral, tem a ver com a ideia que todos são iguais perante a lei – todos têm as mesmas oportunidades. – Atende a que um indivíduo faz parte de um todo.

Ex:  Da imunidade Parlamentar/Diplomática, ou seja o individuo depende da sua condição particular perante aquela situação. Ou avaliar um aluno de acordo com a avaliação de todos.

 

Difundidade                                                                  Especificidade

 

Tem a ver com a Relação com os outros.

Difuso: Exemplo: A nível familiar, tenho a relação com o meu pai, mas tenho interesses válidos, há uma difusidade na forma como nos relacionamos.

Especificidade: Exemplo: Compro um computador numa loja e tenho uma relação especifica: relação entre cliente- vendedor.

 

Nota: As variáveis de configuração não podem ser utilizadas em simultâneo, temos que escolher sempre apenas uma delas.

Todas as variáveis de configuração, são incompatíveis entre elas, pois na decisão que eu tomo à sempre uma  delas que prevalece.

 

 Para aplicação destas variáveis: 

Ex: A relação entre o Médico e o Paciente é baseada no desempenho e deve pautar pela neutralidade afectiva.

 – Com base no Universalismo, o Médico deve tratar todos os seus pacientes da mesma forma.

 – A orientação do médico é baseada para o Colectivo é especifica, ou seja para o bem estar de todos os pacientes, e não para o seu próprio beneficio.

 

 

 

 

TALCOT PARSONS

 

VARIÁVEIS DE CONFIGURAÇÃO .-  COMO MODELO ANALÍTICO

 

 

Talcot Parsons – Considera-as um Modelo de Análise;

 

 – Parsons utiliza este modelo para estudar:

          – as sociedades e a análise da mudança social;

          – Acções que os actores sociais tem no conceito do grupo social.

 – A utilização deste modelo iria lhe permitir verificar quais eram as características de uma determinada sociedade;

 

É o resultado de todas as interacções dos indivíduos atendendo ao desempenho que os indivíduos têm na sociedade.

 

 – Para Parsons poder demonstrar esta sua ideia, fez uma análise de 4 sociedades:

 

 – Parsons ao iniciar este estudo acabou por eliminar três das variáveis de configuração

 – E acabou por se focalizar para iniciar o estudo apenas em 2 das 5 Variáveis de Configuração:

 

 Adscrição———-Desempenho e o

Particularismo————-Universalismo.

 

·         Em 1.º Lugar

PARSONS-  Começa por estudar a Sociedade Americana da sua época  – (1940/1950)

E as variáveis que caracterizam a Sociedade Americana são:

 

 Desempenho  – “prevalecia” – Era uma sociedade orientada para a produção, sobretudo devido à forma como as pessoas se apresentavam para a modernidade.

 

 -Universalismo – Partia da igualdade para todos e primava por ter uma democracia liberal, em que todos são iguais perante a lei e que todos têm a mesma oportunidade.

 

·         Em 2.º Lugar:

Sociedade Alemã ( Hitler +/- 1940)) – Tem como caracteristicas:

 

Adscrição  – Era uma sociedade que tinha características muito próprias – existia uma forte discriminação particular. Valorizavam apenas a sua própria raça.

 

-Universalismo – Tinha uma estratégia de discriminação orientada para vários grupos étnicos. Perseguição a todos.

 

·         Em 3.º Lugar

Sociedade Chinesa ( análise mais extensa pré 1940) – Tem como caracteristicas:

 

Desempenho  – Orientada para o que cada um pode produzir;

 

Particularismo    Os indivíduos não são todos beneficiados na lei. Tem a ver com a forma como avalia as acções dos outros  – Como agimos em relação aos outros.

 

·         Em 4.º lugar e último

Sociedade da América Latina (época de 1940 – constituía o bloco dos países do 3.º mundo) – Tem como características: 

 

Adscrição  – É uma sociedade que tem grupos bem definidos com determinados privilégios e outros não têm direito a nada – Discriminação do género e da classe social. Exemplo: As mulheres eram descriminadas.

 

Particularismo –  É uma sociedade onde o poder está extremamente centralizado  e os indivíduos são tratados de acordo com a sua proximidade com o poder.

 

Parsons a partir das acções micro (particular) verificou que é possível desenvolver a acção macro (a nível global). Esta análise genérica era para todas as sociedades.

As acções são interdependentes, mas não funcionam isoladamente. Há dinâmica entre eles. Para perceber o todo tenho que perceber as partes, sabendo que elas estão ligadas.

A sociedade é  resultado de tudo isso.

 

Talcot Parsons, foi extremamente importante para a Sociologia Americana, pois deu a conhecer inúmeros autores, que anteriormente eram completamente desconhecidos com weber, durkeim (coesão social e consenso europeu).

 

Para os outros autores pós Parsons, A abordagem teórica é o interaccionaismo.

 

 

RECOMENDAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS:

BERTALANFFY, Ludwig Von, Teoria Geral dos Sistemas, Editora Vozes, Petrópolis, 1973.

FERREIRA, Carvalho et al, Sociologia, Mcgraw-Hill, Lisboa, 1995.

LAKATOS, Eva Maria, Sociologia Geral, Editora Atlas, São Paulo, 1996.

LALLEMENT, Michel, De Parsons aos Contemporâneos, Editora Vozes, Petrópolis, 2004.

ROCHER, Guy, Sociologia Geral. A organização Social, Editoral Presença, Lisboa, 1989, pp.130-196

WIENER, Norbert, Cibernética e Sociedade. O uso humano de seres humanos, Cultrix, São Paulo, 1954.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s